quinta-feira, 4 de julho de 2013

O Homem de Aço será um filmaço?


[ por Márcio Brasil ]

Ainda não assisti ao aguardadíssimo "O Homem de Aço", como o Gelson Weschenfelder teve a oportunidade. E, por isso, por enquanto estou apenas com grandes expectativas de que, enfim, o mais famoso personagem das histórias em quadrinhos tenha ganhado um filme como bem merece. É consenso que o clássico Superman, o Filmefoi um marco e é, digamos, o "pai" das boas adaptações de hqs para o cinema. E que, em sua própria concepção, trazia o melhor e o pior do gênero. O melhor: a construção de uma verossimilhança que dialoga muito bem como o período histórico em que está inserido (final dos anos 70). E o pior: pegar essa mesma construção lógica e mandar às favas com aquela incoerente "volta ao mundo", como forma de solucionar tudo ao final do filme.

Ainda sobre o filme clássico: o quarteto principal (Marlon Brando, Cristopher Reeve, Gene Hackman e Margott Kidder) deu o peso necessário à produção que, durante muito tempo, foi A referência como adaptação de HQ. Tanto é nem as continuações da série e nem as produções baseadas em outros personagens que se seguiram pelos 20 anos seguintes foram capazes de superar "Superman". E foi só a partir dos anos 2000, com X-Men, de Bryan Singer, que o nível de excelência passou a ser uma constante e, salvo algumas exceções, a regra da nova safra de filmes foi sempre ter bom elenco, bons diretores e roteiros bem escritos.

No entanto, o cinema ainda estava devendo um grande filme para a criação de Jerry Siegel e Joe Shuster, coisa que não foi atingida em 2006 com "Superman Returns", do mesmo Bryan Singer que iniciou a revolução, que só conseguiu agradar aqui e ali, mas suscitar mais críticas do que elogios. (Pra mim, o melhor filme com melhor referência ao Superman é Kill Bill 2, onde há uma cena que faz um estudo do personagem, que foi das coisas mais precisas e preciosas que já vi sobre ele no cinema).

Apesar de ser o mais famoso personagem dos quadrinhos, não há tantas boas histórias sobre o Superman. Me refiro a histórias que resistam ao passar dos anos que sejam incríveis hoje e causem o mesmo impacto nas próximas décadas. E neste aspecto, eu citaria as que considero as melhores: O Legado das EstrelasAs 4 EstaçõesIdentidade Secreta Superman - Terra 1, com menção honrosa à O Homem de Aço, de John Byrne. 


E, pelo que percebi nos trailers divulgados do novo filme, ele parece beber bastante nessas fontes, trazendo elementos e diálogos familiares a quem leu as HQs. A julgar pelo realizadores da obra cinematográfica, o diretor Zack Snyder e os roteiristas David Goyer e Cristopher Nolan, também produtor, é impossível que o novo filme não seja um produto tecnicamente muito bem feito.

Mesmo assim, apesar de todas as expectativas, tenho também os meus temores. É que, apesar de reconhecer todo o talento dos envolvidos (incluindo o elenco), a alma de um bom filme é o roteiro. E tanto Nolan, quanto Goyer ainda estão devendo um filme que seja realmente envolvente em termos de emoção. Até aqui, os filmes de Nolan foram impecáveis em termos técnicos (direção, edição, trilha sonora etc), mas pecam justamente no lado emocional, pois não conseguem criar uma identificação no espectadores. 

O mesmo pode ser dito sobre Zack Snyder, que criou um estilo todo seu, baseado na identidade visual de suas cenas e a forma de contar uma história. Mas, ao que parece pelos trailers, "O Homem de Aço", tem uma cara de filme independente (com câmera tremida, no ombro etc), conferindo uma aura realista à uma fantasia. Resta saber como está o equilíbrio disso tudo. Pelo nível de excelentes profissionais envolvidos, não tenho dúvida de "O Homem de Aço", será/é um filme de excelente acabamento. Agora, se terá uma "alma", quero descobrir o quanto antes no templo sagrado da sala escura. Por Krypton, espero me surpreender. Tomara que seja um filme de aço. Um filmaço.

Postar um comentário