sábado, 18 de maio de 2013

Crítica: final de Arrow respeitou inteligência da audiência

Arrow-TV
Esta época do ano marca o início da entressafra de grande parte dos seriados americanos. Vários deles exibiram suas season finale nas últimas semanas: The Walking Dead, The Following, Once Upon a Time, Supernatural… a lista é grande.

Entre eles está Arrow, a adaptação para TV do herói dos quadrinhos Arqueiro Verde. A primeira temporada foi encerrada nos Estados Unidos no dia 15 de maio (3 de junho no Brasil).
Ao longo de 23 episódios o programa construiu a mitologia do personagem na nova mídia: explorou suas motivações, inseguranças, aliados, inimigos, escolhas e até a origem, contada em forma de flashbacks intercalados à trama principal.
Arrow teve o mérito de atrair tanto leitores quanto não-leitores de quadrinhos ao misturar ação com drama familiar. Os primeiros ainda tiveram a vantagem de reconhecer vários personagens e se divertir com as muitas referências ao universo da DC Comics.
O episódio de estreia foi assistido por mais de quatro milhões de pessoas, um recorde para o canal CW. A manutenção da audiência perto deste índice fez a emissora muito rapidamente confirmar a segunda temporada.
O eixo central da trama era um grande e misterioso plano que envolvia pessoas importantes da cidade de Starling City. Caçar estas pessoas e honrar a memória do seu pai foi a motivação do herói ao longo de toda a temporada, ainda que o preço fosse ficar à margem da lei e afastar-se das pessoas que ama.
O quebra-cabeça foi montado aos poucos e levou ao clímax da season finale. Paralelamente ao confronto final entre o herói e o vilão, coadjuvantes ganharam destaque ao tentar impedir a catástrofe que ameaçava a cidade.
Arrow teve um final épico, emotivo, e respeitou a inteligência dos milhões de pessoas que acompanharam a série por meses.
O desafio dos roteiristas para a próxima temporada não é pequeno. Como foi dito, o “grande segredo” não era apenas a principal linha narrativa da série, mas também a motivação do herói.
Uma vez que a ameaça se concretizou e o vilão foi anulado, o que resta ao Arqueiro Verde? Enfrentar bandidos com origem nos quadrinhos em tramas pontuais diverte a audiência, mas não será suficiente para sustentar a temporada inteira por vir.
Os produtores têm crédito com a audiência. Até agora, souberam como conduzir o programa e não há por que não lhes dar um voto de confiança. Aos fãs, só resta esperar a próxima temporada, provavelmente em outubro. E torcer para que Arrow mantenha o alto nível demonstrado até agora.

Fonte: http://revistaogrito.ne10.uol.com.br/papodequadrinho/2013/05/18/critica-final-de-arrow-respeitou-inteligencia-da-audiencia/
Postar um comentário