sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Batman: Earth one


Batman: Earth one



Há algum tempo a DC comics resolveu reestruturar seus heróis a fim de se adequar a um novo público que não lia quadrinhos. Não, não estou falando dos novos 52...da nova empreitada da DC ao lançar a série Terra 1, onde se propõe recontar as origens dos heróis agora no formato Graphic novel, tento a história fechada em um volume. A iniciativa se iniciou com o Superman: Earth 1, de J. Michael Straczynski no ano passado. Ficou um resultado interessante.
Agora, foi a vez de Batman ganhar sua versão (aproveitando o sucesso do filme), pelas mãos do roteirista Geoff Johns (um dos diretores criativos da DC hoje, também roteirista da Noite mais densa, ponto de ignição e durante uma das melhores fases do Lanterna Verde) e do desenhista Gary Frank (hoje artista da reformulação do Capitão Marvel nos novos 52).
O resultado que se vê é um Batman em inicio de carreira, cometendo erros esperados para um principiante e ainda sem muito foco ou objetivo para o que está fazendo. Bruce Wayne desta história tem ainda muito a questão de vingança ao invés de justiça guiando seus atos.
A história se concentra na origem e no assassinato dos Waynes . As mudanças mais gritantes começam por ai. Alfred agora é um veterano de guerra (pode incomodar muitos fãns mas me pareceu mais plausível ele ter essa formação para ajudar aquele que será o maior detetive do mundo). Se trata de um Alfred mais duro mas não menos paternal. O crime que tirou a vida de Thomas e Martha ganha motivações políticas já que Thomas era candidato a prefeitura de Gothan city, o que acrescenta muito a história. Na minha visão, a mudança que mais me chamou atenção e que mais pode render boas histórias é o fato de Martha ser da família Arkhan. Na história, se menciona o desconforto dela com seu passado e que isso traz más recordações que sugerem que elementos da insanidade sempre presentes nas histórias mais clássicas do Batman podem ganhar muito espaço na nova série.  
Também vemos um Harvey Bullock radicalmente diferente, mas que até o final da história se aproxima do que nós conhecemos.
A história tem como vilão o Pinquim (como novo prefeito de Gothan) e um novo psicopata chamado aniversariante. Parece que a ordem é emagrecer todos os personagens do universo DC, já que o visual do pinguim e do Bullock deixaram de ser obesos (assim como Amanda Waller nos novos 52).
Definitivamente, houve um resultado muito melhor do a Superman: earth one. È uma boa leitura que dá margem para muitas boas histórias a serem contadas nesta nova realidade do homem morcego. 




Postar um comentário